Artigos, Homilias, Textos › 05/06/2019

Solenidade da Ascensão de Nosso Senhor..Dom Bento de Souza.Osb.

Hoje, celebramos um dos grandes mistérios de nosso Senhor. Celebramos a Sua Ascenção ao céu, ou seja, a Sua subida, o Seu retorno para junto do Pai. Jesus, enquanto homem, caminha com o povo, se faz um com toda a humanidade para levar as criaturas a um contato de amor e de intimidade com o Pai.
Jesus percorre um caminho, semelhante ao caminho percorrido pelo povo da Promessa. Deus prometeu ao Seu povo uma terra, de onde emana leite e mel, simbolizando, manifestando assim, a fartura, abundância dos dons, anunciados por Jesus e que se tornaram realidade com a vinda do Espírito Santo, dom do Pai e do Filho.
O Espírito prometido por Jesus Cristo tem poder transformador, torna o homem nova criatura, eleva a dignidade do homem terreno, que passa a ser homem divinizado, portador do Espírito que santifica, porque é Dom, é plenitude do Santificado.
A nova terra e os novos céus, promessa para aqueles que permanecerem fiéis aos ensinamentos de Jesus Cristo, será um lugar, onde não haverá mais sofrimento, nem fome nem sede, nem dores nem tormentos, pois viverão, todos, num júbilo incessante diante de Deus e Sua glória infinita.
Devemos recordar sempre que, para subir ao céu, nosso Senhor passou por esta terra, experimentou a dureza de um caminho de deserto, de sofrimento; passou igualmente pela Cruz, morte e Ressurreição. Somente depois de ter vivido e ensinado o que era o desejo do coração do Pai, após ter preparado os Seus, que permaneceram aqui na terra, pôde, então, retornar para o lugar de onde viera.
Para elevar a condição do homem de todos os tempos, Jesus esvaziou-se da Sua condição divina, assumiu a nossa carne e, assim, ofereceu a cada um de nós, cristãos, a Sua divindade. A volta de Jesus para junto do Pai, é uma realidade que somente pode ser compreendida como um grande mistério. Um mistério não se escancara, não se revela totalmente num primeiro momento, mas se deixa conhecer pouco a pouco, para que o homem, sedento desse mistério, possa acolher tudo aquilo que ele traz em si.
Ao retornar para o Pai, Jesus escancara para nós as portas da eternidade. Ele mesmo prepara para cada um de nós esse caminho de Grande Retorno! Um caminho que passa pela experiência da dor, do sofrimento e da morte. Esse é um caminho comum para todos os que acreditam que, pelo batismo, são revestidos de Cristo, para testemunhar a Sua presença no mundo.

No momento da última Ceia, Jesus tomou nas mãos o Pão e o Vinho, deu graças e exultou diante de tudo aquilo que o Pai havia concedido realizar através Dele entre os escolhidos para uma missão. Esse Pão e esse Vinho consagrados foram transformados em Seu Corpo e em Seu Sangue, para sustentar os homens e mulheres de todos os tempos, enquanto peregrinos nessa terra.
Da mesma maneira que Jesus consagrou o Pão e o Vinho, invocando o Espírito Santo, Ele impôs as mãos sobre os Apóstolos, não somente desejando, mas de fato, enviando cada um deles como missionários do Reino, para que eles se tornassem testemunhas da realidade desse amor infinito de Deus. Ele, hoje, deseja que cada enviado se torne também alimento para o mundo, que se deixe consumir pela causa do Reino, gastando a própria vida para anunciar o Seu Santo Nome aos homens de todos os tempos, sedentos de Deus e ansiosos pela posse de um mundo novo segundo o coração de Deus mesmo!
Somos todos chamados, constantemente, para ser presença de Jesus no mundo! Somos convidados e convocados para ser um sinal da presença de Jesus, que, subindo ao céu e permanecendo à direita do Pai, assume uma nova missão, passando a ser, não mais o indicador das realidades do céu, mas intercessor por excelência entre o céu e a terra.
Assim como os Apóstolos, todos nós, batizados, somos responsáveis pela continuidade do anúncio do Reino! Recebemos de nosso Senhor essa missão e devemos apontoar ao mundo o caminho que leva ao Pai. Como bons cristãos, devemos agir como João Batista, que viveu a sua missão apontando Jesus Cristo como “O Cordeiro que tira o pecado do mundo!” E, ainda seguindo o exemplo de João Batista, devemos ter consciência na nossa missão, de que é mais importante “Que Ele cresça e eu diminua!”.
Esse caminho de humildade, percorrido por João, semelhante ao caminho de nosso Senhor, é que vai nos direcionar para uma maior eficácia no anúncio do Reino, dando a cada um de nós e àqueles que Deus permitir que passe pelo nosso caminho, a possibilidade de tocar aqui na terra a beleza dos Mistérios do Céu.
Todos nós somos chamados a ser esse sinal misterioso do céu aqui na terra! Nós somos portadores dos Mistérios de Cristo e devemos levar no coração a certeza de que esse Mistério, também a nós vem revelado pouco a pouco, permitindo-nos saborear as delícias prometidas aos Seus, nesse Novo Céu e Nova Terra, onde poderemos experimentar no hoje da nossa história pessoal, comunitária e eclesial as alegrias dos Santos na Glória com Cristo.

Que a Santa Mãe de Deus, plena do Espírito Santo, nos ajude a ter o coração preparado para receber o Dom de Deus nesse Pentecostes que se aproxima. Que sejamos sinal eficaz de unidade entre os cristãos, vivendo de tal modo, que o anúncio do Reino seja feito por cada um de nós, não somente por palavras, mas por gestos e atitudes que apontam para as realidades do céu.
Assim Seja!

Tags: