Ação Litúrgica – Sexta-feira Santa/Homilia

Ação Litúrgica – Sexta-feira Santa/ Dom Abade Andre Martins

10 de abril de 2020

              Caríssimos Irmãos e Irmãs:

              Hoje a história da salvação é recapitulada, como nos diz o apóstolo Paulo. Hoje no Gólgota – o lugar da caveira – lugar onde eram exterminados os criminosos, os marginais, os impostores, os blasfemadores, a escória da sociedade romano-judaica, lugar para além dos muros da cidade real de Davi, morre o Rei Imortal.

              Sim, meus irmãos! A história da salvação em Jesus Cristo é loucura para os gentios e escândalo para os judeus, pois Deus Onipotente, para salvar-nos, precisou de nós. Precisou do homem e de sua colaboração.

              Precisou do homem a tal ponto que se fez homem em Jesus Cristo. Nele, o homem aceitou plenamente colaborar com Deus para que tudo fosse recapitulado.

              Em Cristo, Adão adormece na árvore da vida, a infame cruz. Adormecido surge a Eva, a sua dileta esposa, que é a Igreja. Surge porque um soldado abre o lado do Novo Adão, correndo Sangue e Água, isto é, os sacramentos. Seu Sangue alimenta e sua Água regenera e fecunda seus filhos. Deus para salvar o homem precisou do homem e de sua colaboração.

              A colaboração do homem na história da salvação tem um nome preciso: obediência, o que o velho Adão desprezou.

              Jesus colaborou com o Pai, pois “fez-se obediente até a morte e morte de cruz.” Somente Nele e por Ele podemos dizer e constatar que somos verdadeiramente colaboradores de Deus no Reino que seu Filho veio instaurar. Pelo Cristo, a chaga da desobediência do velho Adão foi sanada.

          Caros irmãos, somente o Senhor que carregou sobre si os nossos pecados até o madeiro da cruz pôde gritar: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes”. Seu abandono na hora da dor gerou vida, gerou perdão, gerou ressurreição, como canta a Igreja: “Adoramos, Senhor, a vossa cruz; a vossa ressureição nós clebramos. Veio a a legria para o mundo inteiro por esta cruz que hoje veneramos.”

          Deus nos poupe de tamanho orgulho, por nossa falta de colaboração para com os planos divinos, banalizando assim a Paixão, a Obediência e a Morte do Salvador do mundo

              Deus nos abençoe a todos!