Artigos, Monastica, Quaresma, Textos › 10/03/2020

Abertura da Quaresma

Abertura da Quaresma – 2020

Por Dom Abade André Martins, OSB.

Caríssimos Irmãos: neste ano vamos, uma vez mais, escutar o relato da vida de Santa Maria do Egito; leitura que nos estimula a perseverar no contínuo processo de conversão que o tempo da Quaresma, de forma singular, nos oferece.
              Frequentemente nós identificamos a Quaresma com penitência e privações. De fato, devemos realizá-las como nos aconselha São Bento em sua Regra (cf. RB 49). No entanto, Quaresma deveria ser sinônimo de conversão e de regresso às fontes evangélicas.
              Durante este período que precede a Páscoa, os batizados são chamados a libertar-se das amarras do pecado e de tudo o que a ele conduz; a afastar os obstáculos que impedem o caminho para Deus e para encontrá-Lo nos encontros fraternos. Tais propósitos, nós não os atingimos sem a pedagogia das renúncias. Contudo, são meios para libertar-nos de tudo o que dificulta a perseverança no processo de conversão.
              A Quaresma também nos oferece um tempo de retiro espiritual. Por isso São Bento propõe mudanças em horários e costumes, exatamente, para os monges terem maior tempo de oração e leitura espiritual, conduzindo-os à experiência do que a existência pessoal e eclesial naturalmente deveria ser. Diz São Bento: “Se bem que a vida do monge deva ser, em todo tempo, uma observância de Quaresma…”, parafraseando o Papa São Leão Magno. A Quaresma é, sobretudo, um tempo em que se vive com mais pureza e integridade a vida cristã, ou pelo menos com maior empenho.
              Essa visão do tempo da Quaresma, São Bento a tomou de São Leão Magno. Verdade é que, todo o texto do cap. 49 da Santa Regra tem como pano de fundo a doutrina do grande Papa. A Regra aplica aos monges a exortação de São Leão aos cristãos de Roma.
              Como os leigos, também nós monges precisamos de um tempo intenso de purificação, de uma preparação especial para a Páscoa. Para São Bento, em seu conjunto, a vida monástica não é diversa da vida laical. Tanto para ele como para São Leão Magno, a Quaresma anual oferece um tempo de “Grande Retorno” mais empenhativo.
              Finalmente, a Quaresma faz-nos percorrer cada ano, juntamente com os catecúmenos, as diversas
etapas da iniciação cristã. “Convertei-vos”, repete insistentemente e de muitas maneiras a liturgia quaresmal.
              Além da leitura da vida de Santa Maria Egipcíaca, vamos escutar um texto sobre Vida Monástica de uma riqueza inigualável do Abade Geral Cisterciense Dom Mauro Lepori, OCist. ministrado em 2019 para os monges de sua Ordem.
              Trata o Abade Mauro de um tema candente em todos os tempos: “Transmitir e Permanecer Para Viver Juntos”. É preciso transmitir a Tradição; sabê-la transmitir e oferecer condições para permanecermos juntos por ela sustentados, neste espaço eclesial, que é a vida monástica.
              O Deus de infinita misericórdia venha em nosso socorro, pois desejamos neste tempo favorável, se distantes e desanimados, retornar ao caminho da via estreita do Evangelho, para juntos chegarmos à Pátria Definitiva.
              Deus nos abençoe a todos!


Dom Abade Andre Martins Osb.

—————————————————————————————————————————–

É possível acessar as versões digitais dos textos citados em:

“Vida de Santa Maria do Egito” por São Safrônio: bit.ly/SantaMariaDoEgito

“Transmitir e Permanecer Para Viver Juntos” por Dom Mauro Giusepper Lepori, O.Cist.: http://bit.ly/DomMauroTransmitir